Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Lamentável Morte de Eduardo Campos

15 de agosto de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Editoriais e Notícias, Política | Tags: a morte trágica do candidato a Presidente, as manifestações generalizadas de lamentações, novos quadros, os elogios quase unânimes

É mais que natural que as qualidades de um político sejam ressaltadas quando ocorre um trágico desaparecimento como de Eduardo Campos, ainda com somente 49 anos, quando começava a despontar na política nacional. Como candidato à Presidência da República foi vitimado num acidente aéreo em Santos em plena campanha eleitoral. Poucos conseguiriam a unanimidade que está obtendo de manifestações sobre suas potencialidades, inclusive de seus adversários, consequência natural do prestígio que conseguiu acumular pelas suas atuações regionais. Com dois mandatos no governo de um Estado da importância de Pernambuco onde conseguiu as melhores avaliações, além de outros obtidos em eleições como de Deputado Federal. Também acumulou experiências em cargos federais como de Ministro de Ciência e Tecnologia no governo Lula da Silva. Todos enfatizam suas qualidades de conciliador, ainda que exercesse a presidência de um partido político considerado de esquerda, como o Partido Socialista Brasileiro, e apresentava suas ideias que fascinavam até os mais conservadores, notadamente no respeito às regras de mercado.

Sendo um político de origem nordestina não poderia deixar de trazer as fortes marcas da região, notadamente nos seus aspectos positivos que estão sendo reconhecidos recentemente por uma melhoria superior à nacional do padrão de vida. Representava a população aguerrida desta parte do país que enfrenta até as adversidades climáticas, tirando partido de suas condições favoráveis para contribuir para o desenvolvimento nacional como para a atual economia globalizada. Insistia numa mensagem com nova roupagem, procurando superar os obstáculos antepostos até pela tradição. Ninguém pode imaginar que ele fosse perfeito, mas suas qualidades superavam em muito os compromissos que todos os políticos necessitam assumir, tratando com pragmatismo as situações que precisava enfrentar.

clip_image002                                    Eduardo Henrique Accioly Campos (1965 – 2014)

Seu otimismo era reconhecido como o sonho de dias melhores para a população brasileira. Ainda que não conseguisse a vitória na sua primeira tentativa de chegar à Presidência da República, todos admitiam que seu futuro fosse promissor para cargos da maior importância. Deixa um vazio difícil de ser preenchido, mas um exemplo estimulador para todos que acreditam na política.

Tinha se preparado num ambiente, inclusive familiar, de insistentes e persistentes batalhas, tendo como inspirador Miguel Arraes que tinha no seu currículo décadas de lutas adversas em Pernambuco e no nordeste. Mas, não aparentava contar com resquícios de rancor, mas uma inconformidade com a acomodação e a ineficiência.

O que se espera é que o seu exemplo inspire outros jovens que existem caminhos políticos e democráticos para se alcançar condições melhores de vida para a população brasileira, ainda que as limitações sempre estejam presentes.


Apelo Para Ajudar o Hospital Santa Cruz

2 de março de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Editoriais, Notícias, Saúde | Tags: certificado de entidade beneficente de assistência social, consulta pública do Ministério da Saúde, histórico do Hospital Santa Cruz, manifestação da sociedade civil por intermédio de entidades sociais

O Ministério da Saúde publicou a Consulta Pública nº 1, de 22 de Fevereiro de 2013, DOU de 25 de fevereiro último, solicitando à sociedade civil manifestar-se sobre a renovação do pedido de Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social da Sociedade Brasileira e Japonesa de Beneficência Santa Cruz, mantenedora do Hospital Santa Cruz, que foi indeferida no seu processo. As manifestações, por intermédio de sociedades civis, que podem reformular a decisão tomada precisam ser enviadas até o próximo dia 11 de março deste ano utilizando-se o site: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/manifestacao/entidade .

O formulário constante do site pede para especificar o nome da entidade civil que está se manifestando, o nome do seu representante legal, o seu CNPJ, endereço, telefone e email. A identificação a seguir do formulário é a da: Sociedade Brasileira e Japonesa de Beneficência Santa Cruz, CNPJ: 60.552.098/0001-11, Processo nº (SIPAR): 25000.666503/2009-10. Existe um espaço para resumir as razões da manifestação com um texto que tenha o máximo de 500 toques. Depois de preenchido o formulário, inclusive com as razões da manifestação, basta acionar o “enviar” que está abaixo do formulário do Ministério da Saúde.

6_max

Hospital Santa Cruz hoje e em na época de sua inauguração, em 1939

Entre as muitas razões que justificam este pedido de colaboração estão: 1) A antecessora da atual Sociedade Brasileira e Japonesa de Beneficência Santa Cruz foi fundada em 1926, com a aquisição do terreno que é utilizado até hoje, bem localizada no bairro da Vila Mariana, com facilidade de acesso usando o metrô. 2) O Hospital Santa Cruz foi construído com volumosas doações do Japão, inclusive da Família Imperial, e da comunidade dos imigrantes japoneses no Brasil com projeto inovador elaborado pelo Dr. Resende Puech para a época. A sua inauguração foi em 1939 e continua sendo um dos maiores símbolos da cooperação nipo-brasileira até hoje.

3) O primeiro superintendente do hospital foi o lendário Prof. Benedicto Montenegro, e a elite da medicina brasileira trabalhou por muito tempo no Hospital, com destaques para nomes como Alípio Correa Neto, Antonio Prudente, Euryclides de Jesus Zerbini, Adail Cutait, Henrique Mélega entre outros. Aperfeiçoou o primeiro grupo de cirurgiões brasileiros antes da fundação do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. 4) Em colaboração com a antiga Escola Paulista de Medicina, hoje Universidade Federal de São Paulo, consolidou-se como um centro de referência em Oftalmologia.

5) Conquistou o seu Certificado de Entidade Beneficente muito antes da atual legislação (1975), o que lhe deveria proporcionar o direito adquirido. 6) Continua atender, dentro de suas limitações, pacientes idosos e carentes gratuitamente, sem nenhuma restrição de raça, nacionalidade ou religião. 7) Conta com um grande patrimônio imobiliário que pode ampliar o hospital para atendimentos de ponta em diversas especialidades médicas, notadamente na medicina preventiva. 8) Conta com Pronto Atendimento muito procurado pela comunidade local que não é rentável em qualquer hospital.

Sem a renovação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social, a entidade corre risco de não poder mais atender socialmente pessoas necessitadas carentes de recursos, inclusive oferecer medicina preventiva para a população idosa da região.

Muitas entidades sociais já estão apresentando o seu apoio, mas o movimento necessita ser expressivo, para que o Ministério da Saúde se sinta justificado para aprovar a medida. A colaboração de todos é importante, tanto dos que já foram beneficiados com atendimentos no Hospital Santa Cruz, como os que potencialmente podem necessitar dos seus serviços para os seus familiares. Todos possuem relacionamentos com entidades sociais que possam manifestar o seu apoio, e quanto mais conseguirem estarão ajudando um empreendimento que vai continuar beneficiando toda a coletividade brasileira. Como o prazo fatal é 11 de março próximo, há que se providenciar este apoio com a máxima urgência.


O Discurso de Dilma Rousseff na ONU

21 de setembro de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Economia, Editoriais, Notícias, Política, webtown | Tags: colocações fortes, discurso de abertura na ONU, fundamentadas, objetivas, propostas concretas

Um discurso de estadista. Dilma Rousseff, presidente do Brasil, como é da tradição da ONU, fez o discurso de abertura da Assembleia Geral da organização. Um discurso forte, cheio de substância, que orgulha todos os brasileiros e as mulheres de todo o mundo, pois ela se colocou na posição de representante delas. Antecedeu o de Barack Obama, que ficou sem o brilho, ofuscado por esta grande figura que se lança como estadista para o cenário internacional, no palco mais qualificado de todo o mundo.

Abriu o discurso qualificando-se como uma voz feminina, representando mais da metade da humanidade, sem pretensão, mas com muito orgulho. Mostrou as credenciais de um país emergente que vem fazendo a sua lição de casa, com condições de contribuir para a solução da atual crise econômica. Colocou claramente que não se trata da disponibilidade de recursos econômicos, mas falta de recursos políticos e, algumas vezes, de clareza de ideias. Mostrou que o problema principal do mundo atual é o desemprego.

21_PHG_MUN_DILMA0003

A presidente Dilma Rousseff faz o discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU,. Foto: AP

Expressou ser de um país emergente que está no pleno emprego, menos afetado pela atual crise, mas não imune. Que é preciso um novo tipo de cooperação entre desenvolvidos e emergentes. Que há uma crise econômica de governança e de coordenação política.

Que é possível utilizar os mercados internos dos diversos países para ajudar a resolver os problemas. Mas que há necessidade de reformas das instituições financeiras multilaterais e eliminar o protecionismo. Que é preciso combater as causas, havendo uma inter-relação entre desenvolvimento, paz e segurança. E que o Brasil já vem colaborando, podendo ampliar sua ajuda na segurança alimentar, tecnologia agrícola, energia limpa, combate à pobreza.

Que o Brasil é um país onde árabes e judeus vivem pacificamente, não se tolerando o emprego da força. Que medidas preventivas devem ser tomadas e não intervenções depois de ocorridos os conflitos.

Com uma lógica invejável, justificou a pretensão brasileira de um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, mostrando a tradição brasileira de soluções diplomáticas das controvérsias. Colocou-se a favor dos direitos humanos, condenando todos os preconceitos. Lamentou que a Palestina ainda não conquistasse o direito a um assento na ONU, que atenderia aos anseios de Israel por paz com seus vizinhos. Tratou dos assuntos de meio ambiente.

Afirmou que o Brasil descobriu que a melhor política de desenvolvimento é o combate à pobreza. Saudou a ONU Mulher, que terá Michelle Bachelet, ex-presidente do Chile, como secretária executiva.

E finalizou: “Como mulher que sofreu tortura no cárcere, sei como são importantes os valores da democracia, da justiça, dos direitos humanos e da liberdade”. Arrancou aplausos demorados da plateia mais qualificada do mundo.


DOAÇÕES PARA O JAPÃO

4 de abril de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque | Tags: doações para o Japão, terremotos, tsunamis, vítimas da radiação

Doações para as vitimas dos terremotos, tsunami e radiações no Japão:

BANCO 237 – BRADESCO

AGÊNCIA 3392 – 8

CONTA CORRENTE 11447 – 2

SOCIEDADE BRASILEIRA E JAPONESA DE BENEFICÊNCIA SANTA CRUZ

CNPJ – 60.552.098/0001-11

Estas doações serão enviadas para:

Kaigai Nikkeijin Kyoka (entidade oficial) – Associação dos Japoneses no Exterior

Esta instituição esta isenta de impostos, pois no Japão até as doações são tributadas. Estes recursos serão enviados diretamente para as províncias mais afetadas, para atender suas vítimas desalojadas e seus feridos.


OSESP E SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA SE UNEM AO PROJETO ‘SOS JAPÃO’ PARA PROMOVER CONCERTO BENEFICENTE NA SALA SÃO PAULO

1 de abril de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque | Tags: concerto beneficente, osesp, solidariedade | 14 Comentários »

A apresentação contará com a participação de músicos japoneses e nipodescendentes e com obras de Heitor Villa-Lobos, Toru Takemitsu e Yoshinao Nakada

Em uma iniciativa inédita, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e a Secretaria de Estado da Cultura se juntam a um grupo de entidades japonesas para uma ação que visa arrecadar fundos em prol das vítimas dos recentes desastres naturais que devastaram a região Nordeste do Japão.

osesp-800x300

O concerto realizado pela Osesp, na Sala São Paulo, acontecerá no dia 11 de abril, exatamente um mês após a tragédia, e abrirá as atividades da campanha SOS Japão, que conta ainda com dois jantares –um no Hotel Unique e outro no Palácio dos Bandeirantes- e demais atividades ainda a serem divulgadas. Todas as receitas geradas pelos eventos serão revertidas à causa.

A apresentação contará com artistas japoneses que fixaram residência no Brasil, como a maestrina Naomi Munakata e a soprano Eiko Senda; bem como de artistas nipodescendentes, caso do pianista Fernando Tomimura. A eles se juntam o maestro brasileiro Wagner Polistchuk.

O repertório terá início com o Réquiem, de Toru Takemitsu, obra inédita no Brasil, que será tocada pela Orquestra de Cordas da Osesp, sob regência de Wagner Polistchuk. Na sequência, a maestrina Naomi Munakata comanda o Coro da Osesp em três obras de Villa-Lobos, Pater Noster, Ave Maria, e Bachianas Brasileiras nº5, esta última com a participação do naipe de violoncelos da Osesp e da solista Eiko Senda. Ainda sob regência de Naomi Munakata, as Vozes Femininas do Coro da Osesp cantam a Suíte Borboleta, do japonês Yoshinao Nakada, com solos do pianista Fernando Tomimura. O espetáculo se encerra com as Bachianas Brasileiras nº9, regidas novamente por Wagner Polistchuk

O concerto contará com o patrocínio da CBMM e Camargo Corrêa e apoio do Instituto Tomie Ohtake e da Ingresso Rápido.

Doações para a SOS Japão também serão recebidas na noite do espetáculo.

SOS JAPÃO

Sensibilizados com a catástrofe que recentemente abalou o Japão e deixou cerca de 10 mil mortos e 17 mil desaparecidos, sete entidades japonesas sediadas no Brasil – Bunkyo, Kenren, Kodomo no Sono, Kibo No Iê, Ikoi No Sono, Hospital Santa Cruz e Consulado Geral do Japão – estão promovendo uma campanha para ajudar as vítimas da tragédia que atingiu o país no último dia 11 de março. A iniciativa, batizada de SOS Japão, já tem três eventos confirmados e outros dois em planejamento, todos com a renda revertida para as vítimas.

Sala São Paulo

Segunda, 11/4 (21h);

Preço único: R$50

Aposentados, pessoas acima de 60 anos, estudantes e professores da rede pública têm 50% de desconto, mediante comprovação
Recomendação etária: 7 anos
Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.
Ingressos também pela Ingresso Rápido 4003-1212 – www.ingressorapido.com.br

Estacionamento: 611 vgs (20 para Portadores de Necessidades Especiais e 33 para Idosos) – R$ 12.
Sala São Paulo (1484 lugares) – Pça. Júlio Prestes 16

Bilheteria: (11) 3223-3966.

Regentes

WAGNER POLISTCHUK

Diretor artístico e regente titular da Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina em 2003 e 2004, Wagner Polistchuk tem se apresentado à frente de importantes orquestras como a Osesp, as Sinfônicas da USP, do Theatro Municipal de São Paulo, de Santo André, do Teatro Nacional de Brasília, de Mendoza, na Argentina e a Hermitage Orchester, na Suíça. Destacou-se em concursos internacionais no Brasil, Itália e Suíça e foi solista convidado da Landesjugendorchester Bremen da Alemanha na turnê por São Paulo. Em 2009 tornou-se diretor artístico da Camerata Antiqua de Curitiba.

NAOMI MUNAKATA

Nascida no Japão, Naomi estudou piano, violino, harpa e canto. A vocação para a regência começou a ser trabalhada em 1973, com os maestros Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani e John Neschling. Anos depois, ganhou o prêmio de Melhor Regente Coral, pela APCA. Em 1986, recebeu do governo japonês uma bolsa de estudos para o curso de aperfeiçoamento em regência da Universidade de Tóquio. Participou de cursos internacionais na Inglaterra, Holanda e Suécia. Hoje, acumula as funções de professora da Faculdade de Artes Alcântara Machado e da Escola Municipal de Música de São Paulo (onde é também regente do coro), de coordenadora do Coral Jovem do Estado de São Paulo e, junto à Osesp, de coordenadora e regente dos Coros Sinfônico e de Câmara.

Solistas

EIKO SENDA – Soprano

Nascida no Japão, Eiko Senda conquistou os primeiros lugares no Wakayama Intl. Music Competition e no Takarasuka Intl. Chamber Music Competition, em 1988. Em 2001 venceu o Concurso Maria Callas. Desde 1995, quando mudou-se para o Brasil, Eiko já foi a personagem protagonista em diversas óperas e apresentou-se em diversos recitais nos mais importantes teatros do país. Entre outras atividades, Eiko Senda promove, como diretora musical, concertos de câmara educativos, abertos ao público, na Universidade de São Paulo (FAU em Concerto).

FERNANDO TOMIMURA – piano
Sua atuação inclui apresentações como concertista, recitalista e camerista ao lado dos principais nomes do cenário musical brasileiro, e repertório diversificado. Além do Brasil, já se apresentou na Alemanha, Finlândia, Rússia, Espanha, Portugal, França, Polônia, Hungria, Áustria, Suíça, Argentina e Chile. É pianista da Fundação Osesp e da Escola Municipal de Música de São Paulo. Em 1999 estreou como diretor musical na ópera A Solteirona e o Ladrão de Gian Carlo Menotti. Fez a estreia brasileira de obras de Béla Bartók e Silvio Ferraz e gravou trilhas sonoras para filmes. Em 2006 gravou, de Willy Corrêa de Oliveira, a série para piano “Velhos Hinos Cantados de Novo”.

Osesp – Desde 1954, a Osesp trilhou uma história de conquistas, que culminou em uma instituição reconhecida nacional e internacionalmente pela qualidade e excelência. Foi dirigida pelo maestro Souza Lima e pelo italiano Bruno Roccella, mais tarde sucedidos por Eleazar de Carvalho, que por 24 anos permaneceu à frente da Orquestra e deixa um projeto para sua reformulação. Com o apoio do Secretário de Cultura e o empenho do Governador Mario Covas, em 1997 o maestro John Neschling é escolhido para assumir a direção artística e conduzir essa nova fase na história da Osesp. A Sala São Paulo é inaugurada em 1999 e, nos anos seguintes, são criados os coros Sinfônico, de Câmara, Juvenil e Infantil; o Centro de Documentação Musical Maestro Eleazar de Carvalho; o Serviço de Assinaturas; o Serviço de Voluntários; os Programas Educacionais; a editora de partituras Criadores do Brasil; e a Academia da Osesp. Em maio de 2009, a Osesp ganha o XII Prêmio Carlos Gomes na categoria Orquestra Sinfônica, pelo conjunto de apresentações realizadas durante o ano de 2008. Indicada pela revista inglesa Gramophone como uma das três orquestras emergentes no mundo às quais se deve prestar atenção, a Osesp dá continuidade ao projeto de ampliação constante da cultura musical brasileira e para a Temporada 2010 conta com o maestro francês Yan Pascal Tortelier como regente titular e o músico e escritor Arthur Nestrovski como diretor artístico.

Instituída em junho de 2005, a Fundação Osesp administra a Orquestra, a Sala São Paulo e, consequentemente, as relações de trabalho de mais de 290 pessoas – entre músicos, administração e técnicos – permitindo maior agilidade administrativa, ampliação de parcerias e melhoria na qualidade dos serviços oferecidos.

Mais informações:

www.osesp.art.brhttp://twitter.com/osesp[email protected]


Informações Atualizadas e Relevantes do Japão

29 de março de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Editoriais, Notícias | Tags: duas indicações excepcionais, temos destacado o twitter da Silvia Kikuchi

Dentro do verdadeiro tsunami de informações, procuramos destacar os mais importantes para o público em geral. O twitter da jornalista Silvia Kikuchi, do IPCTV do Japão, vem com notícias que todos deveriam tomar conhecimento, tanto no Japão como no Brasil. Repetimos: http://twitter.com/silviakikuchi

Uma é sobre a esclarecedora entrevista efetuada pelo JP TV com o Dr. Eduardo Nóbrega Pereira da Silva sobre a radiação, níveis toleráveis, bem como todos os termos técnicos sobre o assunto, numa linguagem acessível a todos. Pode ser encontrado no http://bit.ly/ex38Lm e em menos de 10 minutos ele dá uma aula espetacular e didática sobre o assunto, tranquilizando a todos. Só podemos transmitir os nossos mais entusiasmados cumprimentos a todos que colaboraram para permitir a sua divulgação.

Outra notícia que ela postou, e nos deixa a todos estupefatos, é que 90% das obras de restauração dos aeroportos, estradas e portos afetados pelos terremotos permitiram os seus restabelecimentos. É claro que se trata de uma situação de emergência, mas todos nós devemos aprender que diante de desastres naturais existem tecnologias e pessoas disponíveis para resolver estes problemas rapidamente, sem maiores burocracias como as que se arrastam nos mais variados lugares.


FONTES DE INFORMAÇÕES SOBRE A SITUAÇÃO NO JAPÃO

27 de março de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque | Tags: fontes de informações sobre a presente situação no Japão, recomendação de consultas diversificadas | 3 Comentários »

Neste momento em que todos estão traumatizados com os problemas criados pelos desastres naturais no Japão, listamos abaixo algumas das fontes de informações que podem ser utilizadas:

www.onlinenewspapers.com/

Acessem ASIA, depois Japan.

Há uma lista de jornais japoneses, em inglês e japonês. Os mais credenciados como o Nihon Keizai Shimbun (em japonês e inglês, algumas matérias somente para assinantes que pagam), o Yomiuri (que tem uma posição crítica – em japonês e inglês) e algumas dezenas de outros jornais. Muitos de Tohoku (nordeste do Japão, mais atingidos pelos desastres) também constam da lista.

É possível acessar quaisquer jornais em todo o mundo, sendo que muitos apresentam versões em inglês, como o The Times e Financial Times, de Londres, The New York Times e Wall Street Jounal, de Nova Iorque, Washington Post, de Washington, China Daily, da China, Times of India, da Índia etc.

www.asiacomentada.com.br/

Há dois links para a NHK, em inglês e outro em japonês, 24 horas por dia, sem custo adicional.

Informações sobre telefonemas gratuitos para o Japão, pelo tempo necessário, quantas vezes desejar, até o dia 31 de março próximo:

TIM oferece ligações a custo zero para o Japão

A TIM anunciou que desde domingo (20/03), todas as ligações DDI realizadas para o Japão com o código 41 – originadas de telefones móveis pré e pós-pagos da TIM ou de qualquer fixo – serão gratuitas, seja qual for a duração da chamada e as cidades de destino. O benefício será válido até o dia 31/03 e não há necessidade de adesão à oferta ou contratação de qualquer plano de longa distância internacional.

Alex Cabral

clip_image001

[email protected]

55 11 3643-2759

55 11 8558-0315

www.cdn.com.br

Dois sites, extremamente críticos, de brasileiros residentes no Japão, que apresentam algumas dificuldades pelos quais estão passando:

@silviakikuchi

www.web-town.org/

www.pequenascousas.com/

Outras informações que desejarem sobre o Japão pode ser dirigido, pela internet, diretamente para:

[email protected]


Reação da Panasonic Diante da Samsung

8 de maio de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Empresas | Tags: competição em eletrônicos, foco nos setores relacionados com o meio ambiente

Outra matéria do jornal econômico Nikkei informa que a japonesa Panasonic diante da Samsung coreana está com as vendas de televisões de tela plana pela metade. E os lucros ficam na faixa de um sexto. Diante deste fato, a Panasonic, como uma forma de reação, está focando nos produtores que sejam amigos do meio ambiente, onde possuem melhor poder de competição.

Assim, seus projetos estão se voltando para a os equipamentos que usam baterias elétricas, com o uso de “lithium íon”. Ou células de captação de energias solares.

Pode-se acrescentar que, como a América do Sul dispõe de reservas de lítio, a concorrência na área está aumentando. Correm notícias que a Panasonic, que hoje detém também o controle da Sanyo, no conjunto é altamente competitiva nestas baterias. Estaria se cogitando da instalação de uma unidade industrial no Brasil para esta finalidade muito brevemente.


Participação Asiática em Grandes Projetos Brasileiros

25 de abril de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Editoriais | Tags: chineses, coreanos, participação de japoneses, projetos de infraestrutura

É perceptível que a economia brasileira, ainda que tenha um desempenho razoável nos últimos anos, está com sensíveis atrasos na preparação e manutenção adequada de sua infraestrutura para dar continuidade ao seu processo de desenvolvimento. Os principais países asiáticos como o Japão, a China e a Coreia dispõem de tecnologia, capacidade financeira e principalmente disposição para colaborar com estas necessidades brasileiras.

Estamos num período em que definições sobre estes assuntos se encontram na pauta, como, por exemplo, a decisão para a concorrência sobre o sistema de trem rápido, que é emblemático neste setor. Mas também outros, como os energéticos, tanto dos renováveis como os relacionados com o pré-sal.

Leia o restante desse texto »


Japoneses Estão Acordando

4 de março de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque, Editoriais | Tags: acordos com coreanos, eficiência menor dos japoneses, reconhecimento, uso de gerências do exterior

Um admirável editorial acaba de ser publicado hoje pelo respeitável jornal econômico japonês Nikkei. Reconhece que as empresas japonesas estão perdendo na velocidade de ajuste nesta pós-crise, enumerando as razões que percebem, e recomendando novas orientações.

Isto é muito importante porque a influência do Nikkei é imensurável nas classes políticas, empresariais e junto a autoridades japonesas.  É um reconhecimento explícito que do jeito que vai não dá mais, precisando mudar urgentemente, idéia que parece estar se generalizando.  E citam, abertamente, os nomes das empresas.

O editorial cita que os coreanos estão efetuando investimentos maciços, de forma muito agressiva, focando para os produtos de elevados valores agregados e que adotam medidas para baixar ao chão as atividades de marketing no exterior.

Citam o que está acontecendo com a Samsung, a LG e a Hyundai, comparando abertamente com empresas japonesas.  Constata-se que o Japão sentiu um forte baque com a perda da concorrência nos Emirados Árabes Unidos para os coreanos, e isto está servindo como uma pedra de toque para as mudanças.

Explicita que os japoneses precisam utilizar as gerências dos países onde fazem investimentos, e que precisam se associar com os coreanos, por exemplo.  Esta posição, vinda num editorial do Nikkei, expressa uma mudança radical de posição.

Deixando o orgulho japonês de lado, admite diretamente que estão perdendo a capacidade de concorrência, e que medidas radicais precisam ser tomadas pelas empresas japonesas para continuarem sobrevivendo.  Que estas advertências tenham efeito prático, inclusive no relacionamento com a América do Sul, onde realmente os japoneses estão perdendo espaços para os coreanos.


s (10 itens)">mudanças NHK NHK-News Nikkei no Japão noticias do Nikkei notícia no Nikkei novas tecnologias o caso brasileiro perspectivas pesquisas The Japan Times trem rápido Valor Econômico Ásia Índia

Receba as atualizações do site por email:

Digite seu email: