Tentando aproximar a √Āsia da Am√©rica do Sul e vice-versa

Preciosos Artigos Sobre os Primeiros Jesuítas na China

27 de novembro de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Not√≠cias | Tags: pesquisas de Li Xiumei do Instituto de Administra√ß√£o de Pequim, publicado por Zhao Xu no China Daily, rica documenta√ß√£o de alta import√Ęncia

clip_image001 Os documentos escritos sobre os jesu√≠tas no Extremo Oriente no s√©culo XVI at√© XIX s√£o mais conhecidos pela curta perman√™ncia no Jap√£o por todos eles terem sido perseguidos e muitos mortos dramaticamente crucifixados, mas pouco se divulga sobre a import√Ęncia deles na China, onde tinham a base principal em Macau.

Mapa da viagem de Matteo Ricci, que se acredita ter sido o primeiro jesuíta n China no século 16, constante nos artigos publicados no China Daily

A preciosa documenta√ß√£o levantada pela professora Li Xiumei, do Instituto de Administra√ß√£o de Pequim, sobre os jesu√≠tas na China √© impressionante, dela constando muitos retratos pintados dos principais jesu√≠tas que estiveram do s√©culo 16 a 19 na China. Um dos locais visitados pela pesquisadora foi o cemit√©rio onde est√£o as l√°pides de muitos destes mission√°rios que recebem a miss√£o de levar o Cristianismo ao Extremo Oriente, notadamente √† China. Sabe-se que tamb√©m desempenharam papeis diplom√°ticos, de interc√Ęmbio cultural e comercial, levando a Companhia de Jesus √†s primeiras opera√ß√Ķes de com√©rcio com os chineses e os japoneses. Os jesu√≠tas eram de muitas origens, portugueses, espanh√≥is, italianos e franceses, entre outros, somando mais de mil enviados.

clip_image003

Foto da professora Li Xiumei que visitou muitas vezes os t√ļmulos de mission√°rios jesu√≠tas na China. Foto constante do China Daily

Pelo que se conhece de diversas fontes, o primeiro jesuíta que recebeu a missão de ir à China foi o italiano Matteo Ricci, que foi retratado como abaixo.

clip_image005

                                Retrato do jesu√≠ta Matteo Ricci que se instalou em Macau

Como se sabe, a Companhia de Jesus foi organizada pelo espanhol In√°cio de Loyola e seus membros s√£o conhecidos como jesu√≠tas. Os depoimentos de Li Xiumei informam que Francisco Xavier foi um dos primeiros mandados para o Extremo Oriente, mas ela diz que ele faleceu na ilha chinesa de Shangchuan. Mas parece que os japoneses o consideram como dos primeiros que chegaram ao Jap√£o, atribuindo-lhe grande import√Ęncia, como na preocupa√ß√£o com o meio ambiente e os animais.

Li Xiumei informa que no cemit√©rio o lugar de honra √© ocupado por Matteo Ricci, ficando a sua direita o t√ļmulo do alem√£o Johann Adam Schall, que parece ter desempenhado um papel importante. √Ä direita est√° o tumulo do belga Ferdinand Verbiest que se tornou um mentor de fato de Kanxi, um imperador chin√™s que teria vivido na √©poca de Lu√≠s XIV, na Fran√ßa, que ficou conhecido como Rei Sol.

clip_image007

Retrato do jesuíta Schall von Belt sugerindo conhecimentos científicos, que teriam sido intercambiados com os chineses, constante do China Daily.

O que aconteceu no Jap√£o difere um pouco com o caso na China, pois os jesu√≠tas foram considerados com precursores do dom√≠nio pol√≠tico e militar, o que desencadeou a persegui√ß√£o aos crist√£os no pa√≠s. Na China, parece que os jesu√≠tas tiveram possibilidade de promover interc√Ęmbios importantes tamb√©m na √°rea cultural, continuando com suas influ√™ncias at√© a primeira metade do s√©culo 20. No Jap√£o, tamb√©m alguns jesu√≠tas tinham se tornado conselheiros de senhores feudais convertidos, mas os receios de objetivos militares acabaram provocando o isolamento do pa√≠s por alguns s√©culos, com a violenta persegui√ß√£o aos convertidos.

clip_image009

Retrato do jesuíta belga Fernand Verbiest, que se tornou conselheiro do imperador da China, constante do China Daily

Zhang Xiping, professor da Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim, enfatiza o interc√Ęmbio cultural dos jesu√≠tas como uma ponte entre o Ocidente e o Oriente em muitos estudos publicados. Desde Matteo Ricci, os jesu√≠tas estudaram, em Macao, o idioma chin√™s para poder, com flexibilidade, atuar al√©m das √°reas religiosas. Eles entendiam que tinham que conquistar a admira√ß√£o dos chineses para terem oportunidades de evangeliza√ß√£o. No Jap√£o, as t√©cnicas de pintura dos portugueses influenciam at√© hoje os artistas japoneses, al√©m de muitas palavras portugueses terem sido adaptadas para uso naquele pa√≠s.

Um dos aspectos que impressionaram os chineses teria sido o telescópio dos jesuítas, que permitia observar o firmamento. Também o relógio dos europeus parece ter feito sucesso, despertando curiosos casos de precaução para não perderem a sua propriedade. Eles tinham a consciência que só poderiam conquistar os chineses na medida em que tivessem conhecimentos, em alguns setores, onde superassem o que os chineses já conheciam e que tinha sido acumulado por milênios.

Os jesu√≠tas franceses ajudaram a melhorar a cartografia chinesa, usando conhecimentos de latitude e longitudes com observa√ß√Ķes astron√īmicas, mas tomavam o cuidado de n√£o contrariar os chineses, como nos conhecimentos dos calend√°rios que diferem dos ocidentais.

clip_image011

Foto da primeira igreja católica construída em 1680 em Pequim publicada no China Daily

Nem tudo foi muito tranquilo nos relacionamentos dos jesuítas com os que pertenciam à aristocracia chinesa, havendo casos de diferenças culturais que foram considerados ofensivos pelos chineses, mas os jesuítas que tinham acumulado conhecimentos em todo o mundo sabiam como tinham que ser flexíveis em alguns casos, para não agravar alguns relacionamentos.

Pouco se sabe, nestes artigos, sobre o que os jesuítas aprenderam dos chineses, havendo poucos trabalhos como o abaixo onde um pintor registrou alguns aspectos da corte. O que parece importante é que nas lápides nos cemitérios constam inscritos os feitos mais marcantes de alguns jesuítas, que estão mais preservados do que documentos em papéis.

clip_image013

Parte de uma pintura do jesuíta Giuseppe Castiglione que mostra a uma saída real de uma localidade em foto constante do China Daily

Este artigo refere-se ao Extremo Oriente com destaque √† presen√ßa dos jesu√≠tas na China e no Jap√£o. No entanto, eles estiveram tamb√©m nas Filipinas onde deixaram uma grande influ√™ncia religiosa, por aquele pa√≠s ter sido col√īnia espanhola, como em outros pa√≠ses do Sudeste Asi√°tico, onde os portugueses tiveram grande import√Ęncia a partir da regi√£o pr√≥xima √† √ćndia, onde havia algumas √°reas onde os idiomas s√£o de Portugal, como em Goa e Timor Leste.